Métricas de projeto: entenda o que são e quais os principais tipos

Use-métricas-de-projeto-adequadas-garanta-a-qualidade-de-projeto-orientado-a-objeto

Última atualização em 01/07/2022

A preocupação com a qualidade tem se tornado requisito imprescindível e apesar da dificuldade em medi-la, sua ausência é facilmente percebida.

Na tentativa de medir a qualidade de um projeto é possível identificar índices por meio de métricas, que têm sido apontadas eficazes como forma quantitativa de avaliar a qualidade, porque permitem comparações.

Quer saber o que são métricas, quais os principais tipos e como utilizá-las para melhorar a qualidade do gerenciamento de projetos? Então, siga a leitura!

O que são métricas de projeto?

Métrica pode ser definida como um atributo mensurável de uma entidade. No caso de um projeto, uma métrica pode ser, por exemplo, o seu tamanho, uma vez que o tamanho pode ser medido.

A utilização de métricas vem aumentando consideravelmente e a principal causa é a dificuldade de gerenciar projetos, sem a dimensão do que se está gerenciando.

Por meio da utilização de métricas, consegue-se calcular o tamanho e a qualidade do projeto com mais precisão e confiabilidade.

Os princípios e benefícios das métricas de projetos

A medição é a primeira etapa que leva ao controle. Se você não mede algo, não pode entender o processo. Se você não entende o processo, não o controla. Se você não o controla, não consegue aperfeiçoá-lo.

Segundo Pressman, as métricas têm como princípios específicos:

  • Coletar dados para  avaliação de desempenho,  atribuindo essas responsabilidades a toda equipe envolvida no projeto;
  • Reunir dados de desempenho relativos à complementação do software;
  • Analisar os históricos de projetos anteriores para determinar o efeito desses fatores, prevenindo erros para projetos futuros.

Pressman também cita os principais benefícios das métricas. Veja na imagem a seguir:

Vantagens de usar métricas de projeto

 

Tipos de métricas de projeto

As métricas podem ser divididas em: métricas de qualidade, métricas de produtividade, métricas orientadas à função e métricas orientadas ao objeto. Entenda cada uma delas a seguir:

Métricas de qualidade

A qualidade pode ser definida como conformidade com as especificações e atendimento às necessidades ou expectativas dos clientes.

As métricas de qualidade são aquelas associadas à definição, criação e controle da qualidade. Um dos papéis mais importantes dessas métricas é impedir que as mesmas falhas continuem sendo cometidas.

Leia também  Do Caos à Tranquilidade: um case de sucesso de gestão de projetos

Os custos de qualidade, por exemplo, podem ser considerados uma métrica. Pode-se definir custos da qualidade como aqueles incorridos para garantir e assegurar a qualidade, bem como aqueles decorrentes das perdas, quando essa qualidade não é obtida.

Métricas de produtividade

Para medir a produtividade de um projeto, algumas métricas podem ser adotadas. Entre elas encontram-se:

  • Número de horas por colaborador, que aborda a produtividade da mão-de-obra aplicada;
  • Número de horas por produto gerado/artefato;
  • Métrica de custos, que visa comparar o custo planejado com o realizado, através do controle executado pelo gerente de projeto.

Métricas orientadas à função

O FPA ou análise de ponto por função determina o tamanho e a complexidade de um projeto.

Essa métrica se baseia na visão do usuário e mede o que é um sistema e o seu tamanho funcional. Também pode medir a relação do sistema com usuários e com outros sistemas.

A contagem dos pontos por função se dá sobre cinco elementos funcionais básicos de um sistema modelado:

  • Arquivos Lógicos Internos (ALI).
  • Arquivos de Interfaces Externas (AIE).
  • Entradas Externas (EE).
  • Consultas Externas (CE).
  • Saídas Externas (SE).

Métricas orientadas ao objeto

Um objeto é uma instância de uma classe. Ele pode representar entidades concretas, como: um arquivo no meu computador ou uma bicicleta. Ou uma entidade conceitual como uma política de escalonamento em algum sistema de operação.

Conforme Gomes (2001), existem várias propostas para métricas orientadas ao objeto que consideram as características e interações do sistema. Tais métricas baseiam-se na análise detalhada do sistema.

As métricas orientadas ao objeto são utilizadas para determinar o fracasso ou sucesso de uma pessoa ou quantificar melhorias de um projeto. A maioria das medidas examina atributos baseados nos conceitos de Orientação a Objeto, como herança, polimorfismo e encapsulamento. Veja cada um deles a seguir:

Métricas orientadas ao objeto

As medições e as métricas são essenciais para gerenciar um projeto. Porém, além delas, também se deve contar com os indicadores de desempenho, pois eles ajudam a perceber se os objetivos da empresa e dos projetos estão sendo alcançados.

Leia também  Implantando a governança de TI: por onde começar?

Para saber mais sobre esse tema, te convidamos a assistir nosso webinar: otimizando a operação com indicadores de desempenho. Nele você vai aprender como criar e monitorar indicadores, gaps de indicadores, principais desafios dos gestores e muito mais! Clique abaixo e assista gratuitamente:

Da-estratégia-ao-plano-de-ação-otimizando-a-operação-com-indicadores-de-desempenho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Consultoria Conduzimos gestores e suas equipes à conquista de resultados! Outsourcing Alocação de profissionais especializados e de alta maturidade Capacitação Treinamentos In Company
@mrjackson