Entenda já a importância do gerenciamento de riscos em projetos

Entre o ponto de partida e a conclusão de um projeto, muitos podem ser os imprevistos e acontecimentos capazes de mudar os rumos de sua execução. Por isso, dentro da gestão, o gerenciamento de riscos em projetos deve figurar com uma das principais preocupações dos envolvidos.

Desse modo, tão importante quanto compor um cronograma de ações e prazos para pôr termo ao projeto, é também prever fatores de risco que podem atrapalhar o desenrolar das atividades.

E então, quer entender melhor sobre o gerenciamento de risco em projetos? Continue com a leitura e confira o post que elaboramos para ajudar!

Como orquestrar a gestão de um projeto?

O ponto chave para uma gestão eficaz é a repartição da empreitada em etapas. Essas etapas são conhecidas como ciclo de vida do projeto, cuja função é escalonar as ações para que sejam efetivadas no momento ideal. Vejamos como funciona:

Iniciação

É a fase em que se toma ciência de todas as informações necessárias para a boa execução do projeto. Aqui, equipe e gestor devem ter ciência das restrições de qualidade, tempo e orçamento.

Planejamento

foco do planejamento é definir um caminho consistente capaz de encurtar a trajetória do projeto até o sucesso. Neste contexto, documentos importantes são utilizados, como a Estrutura Analítica de Projeto (EAP), cronograma do projeto, plano de gerenciamento de riscos, entre outros.

Execução

É a fase de colocar o planejamento no campo das ações. É nessa fase que os imprevistos surgem e mudanças de escopo podem ser realizadas, com a finalidade de garantir o resultado final desejado.

Vale lembrar que, paralelamente à execução, ocorre também o monitoramento e controle, cujo objetivo é garantir o alinhamento do que se executa ao que havia sido planejado.

Encerramento

Fase final, na qual se realiza a entrega do projeto e, em regra, procede-se à assinatura do termo de aceite.

Qual a importância de gerenciar riscos nessas etapas?

O foco principal do gerenciamento de riscos é justamente garantir que todo o planejamento do projeto seja executado tal como se previu. Neste sentido, as equipes analisam uma série de variáveis, tanto internas quanto externas, que podem alterar o escopo do projeto ou, em casos mais graves, inviabilizá-lo, avaliando as incertezas.

Como o projeto tem uma razão de ser e a empresa necessita dos resultados propostos por ele, é imprescindível antever qualquer situação que possa interferir na qualidade, velocidade e produto final gerado pelo projeto. Daí toda a importância desse gerenciamento.

Como efetivar esse gerenciamento de riscos?

O gerenciamento de riscos segue uma lógica estruturada que tem como foco garantir melhores resultados. A exemplo, existem alguns modelos de gerenciamento utilizados em diversas empresas. Vejamos:

  • identificação dos riscos: fase em que se avalia quais riscos podem afetar o projeto e realiza a documentação de suas características;
  • análise qualitativa: considerando o nível de exposição ao risco, busca-se priorizar aqueles que serão objeto de análise mais detalhada ou ação adicional;
  • análise quantitativa: aqui, em números, se analisa o efeito dos riscos identificados nos objetivos do projeto;
  • planejamento de respostas aos riscos: nesta fase, equipe e gestor desenvolvem alternativas e ações para aumentar as oportunidades de sucesso ao contornar ameaças aos objetivos do projeto;
  • monitoramento e controle: monitorar e controlar, tanto quanto possível, os riscos durante o ciclo de vida do projeto, buscando garantir o melhor resultado.

Quais as vantagens de fazer o gerenciamento de riscos?

As vantagens da mitigação de riscos em projetos estão relacionadas principalmente a três itens: escopo, prazo e custo.

Quanto ao escopo, percebe-se que alterações forçadas e negativas no meio do caminho são mais raras, permitindo uma entrega mais alinhada com os objetivos iniciais do projeto.

No tocante aos prazos, como as ocorrências são antevistas, é possível reagir com mais agilidade e seguir com o cronograma do projeto, ainda que problemas surjam.

Por fim, os custos também são beneficiados pelo gerenciamento de riscos em projetos. Isso porque o cronograma de atividades é cumprido com mais precisão, dentro do prazo e em acordo com o planejamento. Desse modo, a ocorrência de erros e retrabalho é mitigada, permitindo a conclusão do projeto dentro do orçamento previsto.

Gostou deste post? Restou alguma dúvida ou quer nos contar suas impressões? Sinta-se à vontade para deixar o seu comentário abaixo!

Consultoria Conduzimos gestores e suas equipes à conquista de resultados! Outsourcing Alocação de profissionais especializados e de alta maturidade Capacitação Treinamentos abertos e In Company