Gerenciamento de Projetos: Análise da Maturidade utilizando o OPM3

opm3

Texto por Cristiano Luiz Alkaim, PMP

Nesse artigo mostramos os resultados que podem ser obtidos ao analisar a maturidade de gestão de projetos de uma empresa utilizando o OPM3. Acompanhe:

Se você gerencia ou trabalha em uma organização que possui projetos e que realiza um dos tópicos abaixo, você está de parabéns:

  • Entrega 100% dos seus projetos no prazo.
  • Nunca ultrapassa a primeira estimativa de orçamento do projeto.
  • Nunca tem conflitos de disputa por recursos para seus projetos.

Na verdade, pelo menos 95% dos profissionais de projetos hoje convivem com a realidade de não realizarem o que esses tópicos mostrar, e não é motivo algum para se envergonhar. E muito provavelmente os outros 5% devem estar cometendo equívocos na avaliação dos seus projetos. Porém isso não é motivo para se justificar e deixar de transformar uma destas três afirmações acima ou até mesmo todas elas em realidade.

Como trabalhar de maneira realista em busca desses três objetivos utilizando o OPM3?

O que é OPM3?

OPM3® é a sigla para “Organizational Project Management Maturity Model ”, um produto desenvolvido pelo próprio PMI® e lançado no mercado no final de 2003. 

Neste método usa-se um questionário que gera quatro gráficos e listas das melhores práticas em gerenciamento de projetos que são utilizadas pela organização, mas vamos entender melhor qual o resultado que esta técnica propícia. Antes de detalharmos o produto gerado por uma avaliação da utilização das melhores práticas em gerenciamento de projetos ou se preferir da maturidade em gerenciamento de projetos, acho interessante apresentar um conceito, o de custo de maturidade.

Custo de maturidade

Existe um exemplo que considero simples e de fácil entendimento que ilustra este conceito. Este exemplo é o do “time de estrelas”, caso da seleção brasileira de futebol onde mesmo tendo os melhores jogadores para as diferentes posições temos algumas questões de entrosamento, liderança, jogadas ensaiadas que neste caso podemos chamar de “maturidade”, afinal, não ganhamos sempre todas as partidas. Não basta ter as estrelas tem de haver “maturidade”.

Voltando ao produto do diagnóstico, o resultado da avaliação OPM3® permite visualizar a situação atual da Gestão de Projetos, levando em consideração uma série de atributos. São eles a maturidade em Projetos, Programas e e o grau de utilização das melhores práticas em quatro outros atributos: Padrões, Métricas, Controles e Melhorias.

Leia também  Sponsor do Projeto #1: o que é e quais os requisitos?

Ele permite também traçar um objetivo a ser alcançado em números absolutos para as mesmas variáveis, levando em consideração os objetivos da empresa, o tipo de negócio e também um de empresas similares.

Entender este “GAP” que é a diferença entre o valor absoluto de maturidade “atual” e o “desejado” permite o desenvolvimento de um plano de longo prazo permitindo estimar o esforço e o tempo necessário para a implementação das melhorias.

Nova edição do PMI PMBOK

Atualmente aplicamos estes resultados na solução de algumas situações:

Visibilidade da Evolução

Uma situação que tenho presenciado em clientes é com relação à evolução do processo, porém esta evolução é mostrada sem que se tenha uma “foto” da situação atual. Muitas frentes de melhoria e capacitação, quando aplicadas simultaneamente, sem uma avaliação da situação atual, podem ocasionar uma tendência do time a perder a noção dos processos que foram aplicados inicialmente e cair na síndrome do “eu sei que não gerencio os projetos corretamente”.

Essa síndrome se reflete negativamente em muitos pontos da equipe, normalmente em uma baixa alto-estima que quanto mais evolui, mais tem a sensação de precisar evoluir. Outras consequências dessa síndrome são: dimensionar “folgas” de planejamento sempre mais generosas que o necessário e na falta de confiança na execução de processos.

Visão Pragmática de um Plano de Evolução de Maturidade

Um resultado bastante importante da análise é o de trazer mais segurança, embasamento e realismo para um plano de evolução de maturidade em gestão de projetos.

Excelência Operacional e Nivelamento de Padrões

A definição de um padrão ou “gabarito” para uma determinada área ou linha de negócio permite através do OPM3®, verificar quais as melhores práticas que precisam ser desenvolvidas e desenvolver para cada uma das unidades de negócio um plano realista de tempo, necessidades de infraestrutura, padrões e capacitação. O que na prática traz bastante velocidade e flexibilidade na implementação de mudanças.

Quantificar o Custo da Mudança

Um resultado bastante interessante também tem vindo da utilização em avaliação de empresas para aquisição, pois permite estimar um valor financeiro para adequação processual da empresa a ser adquirida. Esta informação permite planejar o investimento necessário para se ter uma operação executando conforme o planejado.

Leia também  Escritório de Projetos: melhorando o desempenho dos projetos

Em suma, existem várias aplicações da análise de maturidade da gestão de projetos que incrementam o negócio e que são convertidas em resultado direto para o negócio. Uma das demandas que o diagnóstico busca atender é a necessidade de desenvolver um direcionamento de como atuar nesta etapa de mudança cultural de forma bastante simples e objetiva. Então nada justifica continuar aceitando as três premissas que começamos discutindo neste artigo, comece a Gerenciar seus projetos antes que você precise!

a importância da gestão de stakeholders para o sucesso dos projetos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 2 =

Consultoria Conduzimos gestores e suas equipes à conquista de resultados! Outsourcing Alocação de profissionais especializados e de alta maturidade Capacitação Treinamentos In Company