Priorizando requisitos: Theme Screening

theme screening

Dando sequência ao post anterior da série sobre priorização de requisitos, dessa vez apresentaremos outra técnica para priorizar seus requisitos (ou projetos) de forma objetiva e quantitativa. A técnica apresentada nesse post é chamada Theme Screening e, embora tenha muitas semelhanças com o Theme Scoring apresentado anteriormente, as duas técnicas tem algumas diferenças com impactos significativos.

Temas de requisitos

O primeiro passo para  aplicação do Theme Scoring é a escolha de temas de requisitos. Temas são grupos de requisitos funcionalmente ligados, tipicamente compondo um subsistema específico ou que tenham objetivos de negócio complementares.

A justificativa para o agrupamento em temas é que tipicamente requisitos individuais podem ser pequenos demais para fazer sentido para os entrevistados pela técnica, então agrupa-se os requisitos em unidades maiores e mais fáceis de avaliar.

No caso da aplicação da técnica para a priorização de projetos, bastaria escolher quais projetos desejamos comparar.

Critérios de análise

Depois de escolher os temas de requisitos ou projetos sendo avaliados, precisamos definir critérios de análise. De forma análoga ao que fazemos na Theme Scoring, os critérios de análise são quesitos contra os quais avaliaremos nossos requisitos e devem representar aspectos do nosso produto que consideramos importantes para a priorização de requisitos.

Esses critérios podem ser definidos a partir da nossa visão de produto, ou de requisitos de negócio a que desejamos atender. Exemplos comuns podem incluir itens como “Alinhamento estratégico”, “Aquisição de usuários”, “Ampliação do uso do produto”, “Facilidade de desenvolvimento”, “Posicionamento do produto”, etc.

Um fator importantíssimo a ser considerado na escolha dos critérios de análise (e também dos temas, na verdade), é o público a que nossa pesquisa será dirigida. Naturalmente, as pessoas entrevistadas pelo método devem ser capazes de entender o significado de cada critério de análise e também ser capazes de avaliar cada tema relativo a esses critérios.

Escolha do tema

É depois de definidos os temas e os critérios de análise que o método do Theme Screening passa a se diferenciar do Theme Scoring. Devemos agora escolher um tema como baseline, isto é, um tema que servirá de base de comparação para todos os demais temas. A idéia é escolher um tema que imaginamos que tenha uma prioridade intermediária entre os temas escolhidos.

Leia também  Sponsor do Projeto #3: o patrocinador não é um "Super Gerente de Projeto"

Agora, comparamos cada critério de análise com o nosso baseline, ou seja, perguntamos pros nossos entrevistados se determinado tema é melhor ou pior que o baseline em cada critério de análise. Na planilha de acompanhamento mostrada abaixo, damos 1 ponto quando o tema em análise é melhor do que o baseline nesse critério, e marcamos -1 ponto (um ponto negativo) quando o tema em questão é pior que o baseline nesse critério.

Somamos o total para cada temas, e teremos uma pontuação total para o tema. Basta então ordenar nossos temas – os requisitos do tema com a maior pontuação devem ser executados primeiro, e assim seguimos em ordem decrescente.

Theme Screening

Conseguimos perceber um risco grande no uso do Theme Scoring – se errarmos na escolha do baseline, poderemos criar distorções nos resultados. Um baseline com prioridade muito alta fará com que muitos quesitos pontuem negativo.

Um baseline muito baixo fará com que muitos quesitos pontuem muito alto. Assim, a escolha de um baseline intermediário na escala de prioridade é bem importante. Naturalmente, pode ser difícil escolher um baseline de prioridade intermediário antes de priorizarmos os requisitos, e esse é um problema inerente ao método.

Diferença entre Theme Scoring e Theme Screening

Ambos os métodos são bastante semelhantes e, embora o Theme Scoring não traga o risco da escolha errada do baseline, há quem diga que a resposta que se pede do participante é mais complexa – é mais difícil dar uma nota de 1 a 5 do que simplesmente dizer se algo é melhor ou pior.

Na prática, há que se avaliar o público que participará da entrevista e definir se esse público tem discernimento suficiente sobre o negócio para dar uma resposta mais detalhada (e nesse caso usa-se o Theme Scoring) ou se os nossos participantes preferirão respostas mais simples mesmo que a gente tenha que correr o risco de errar na escolha do baseline(e nesse caso usa-se o Theme Screening).

Independentemente do método escolhido, o mais importante é que se use algum método objetivo de priorização, e que os participantes nas atividades de priorização entendam claramente o funcionamento do método empregado.

Leia também  4 principais ferramentas para gestão estratégica

Aperfeiçoe-se ainda mais em gestão de projetos assistindo aos nossos webinars gratuitos.

Assista aos webinars

Leia os demais artigos:

  1. Theme Scoring
  2. Theme Screening
  3. Modelo de Kano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + seis =

Consultoria Conduzimos gestores e suas equipes à conquista de resultados! Outsourcing Alocação de profissionais especializados e de alta maturidade Capacitação Treinamentos In Company