Governança de dados: o que é e qual a sua importância

imagem de uma mão "segurando" um gráfico

A governança de dados é uma metodologia que visa garantir a qualidade, a segurança, a disponibilidade e a usabilidade dos dados em uma organização. Ela envolve a definição de políticas, processos, papéis e responsabilidades para o gerenciamento eficaz dos dados ao longo de todo o seu ciclo de vida.

A governança de dados é essencial para as empresas que desejam aproveitar o potencial dos seus dados para gerar insights, tomar decisões, inovar e se diferenciar no mercado.

Neste texto, vamos explicar o que é a governança de dados, quais são os seus benefícios, como implementá-la e quais são as melhores práticas para uma gestão de dados eficiente. Confira!

O que é governança de dados?

A governança de dados é o conjunto de práticas, processos, políticas, padrões e métricas que visam garantir a qualidade, a segurança, a disponibilidade e a usabilidade dos dados em uma organização. Ela define as regras, as responsabilidades e os papéis dos envolvidos no gerenciamento dos dados, desde a sua coleta até a sua análise e uso.

A governança de dados é fundamental para as empresas que querem aproveitar o potencial dos seus dados para gerar valor, insights, decisões, inovações e diferenciais competitivos.

Uma das características centrais da governança de dados é o estabelecimento de estruturas hierárquicas e responsabilidades claras relacionadas à gestão dos dados. Isso inclui a definição de papéis, responsabilidades e políticas que orientam as práticas de coleta, armazenamento e uso dos dados.

Além disso, a governança de dados busca garantir conformidade com regulamentações e normas, mitigando riscos associados ao manuseio inadequado ou não autorizado das informações.

A implementação bem-sucedida da governança de dados proporciona diversos benefícios às organizações, como a melhoria da tomada de decisões baseada em dados confiáveis, o aumento da eficiência operacional, a redução de riscos e a promoção da transparência.

Confira também o post sobre segurança digital

Qual a diferença entre governança de dados e a gestão de dados?

A diferença fundamental entre governança de dados e gestão de dados reside na abrangência e no escopo de suas atividades. Enquanto a gestão de dados se concentra nas operações cotidianas do ciclo de vida dos dados, envolvendo tarefas como coleta, armazenamento, processamento e distribuição, a governança de dados vai além, abrangendo o estabelecimento de políticas, padrões e responsabilidades para garantir a qualidade, segurança e conformidade desses dados.

A gestão de dados está mais ligada às atividades operacionais, como a organização eficiente de bancos de dados, o gerenciamento de metadados, a implementação de procedimentos de backup e recuperação, entre outros processos práticos do ciclo de vida dos dados. Ela visa assegurar que os dados estejam disponíveis, acessíveis e utilizáveis no dia a dia da organização.

Por outro lado, a governança de dados assume uma perspectiva mais estratégica e abrangente. Ela envolve a definição de políticas que orientam o uso adequado dos dados, a padronização de práticas para garantir a consistência e a qualidade das informações, além de estabelecer responsabilidades claras para os diversos envolvidos no processo.

A governança de dados visa assegurar que os dados sejam tratados como ativos críticos, promovendo a transparência, a conformidade com regulamentações e a mitigação de riscos associados ao manuseio inadequado dos dados.

Enquanto a gestão de dados se concentra nas atividades práticas do ciclo de vida dos dados, a governança de dados vai além, fornecendo uma estrutura estratégica que orienta e controla essas atividades para garantir que os dados sejam gerenciados de maneira eficaz e alinhada aos objetivos e valores da organização.

Confira também o conteúdo sobre Governança, Risco e Compliance

Benefícios e a importância da governança de dados

Imagem ilustrando os principais beneficios da governança de dados
Imagem ilustrandos os benefícios da governança de dados

Tomada de decisões informadas

A implementação da governança de dados assegura a disponibilidade de informações precisas e confiáveis, proporcionando uma base sólida para uma tomada de decisões mais informada e estratégica. Ao garantir a qualidade dos dados, as organizações podem confiar nas informações para orientar suas estratégias e operações, resultando em decisões mais acertadas.

Conformidade Regulatória

A governança de dados desempenha um papel fundamental no auxílio às organizações para cumprirem normas e regulamentações, evitando penalidades e garantindo a conformidade legal.

Estabelecendo políticas e práticas alinhadas, a governança também pode ser um aliado importante na adaptação a leis específicas, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), promovendo uma abordagem ética e responsável no tratamento de informações pessoais.

Eficiência operacional

Processos claros e responsabilidades bem definidas na governança de dados contribuem significativamente para uma maior eficiência operacional. Ao reduzir redundâncias e melhorar a eficácia nos fluxos de trabalho relacionados aos dados, as organizações conseguem otimizar seus recursos e garantir uma gestão mais eficiente dos ativos de informação.

Aumento da confiança dos stakeholders

A transparência e responsabilidade proporcionadas pela governança de dados geram confiança entre stakeholders internos e externos, como clientes, parceiros e reguladores. A certeza de que os dados são gerenciados de forma ética e segura fortalece os laços com as partes interessadas, construindo uma reputação sólida e sustentável no mercado.

Redução de custos

A gestão eficiente dos dados evita gastos decorrentes de retrabalho, correções de erros e possíveis penalidades. Dessa forma, a governança de dados contribui para uma significativa redução de custos operacionais, promovendo uma alocação mais eficaz de recursos financeiros e humanos.

Gestão de risco aprimorada

A governança de dados oferece benefícios relacionados à identificação e mitigação eficaz de riscos, protegendo a organização contra ameaças à segurança da informação. Ao implementar práticas e controles adequados, as organizações podem antecipar e responder proativamente a desafios, fortalecendo a resiliência e a segurança de seus sistemas e dados.

Leia também o post de Gerenciamento de identidade e acessos

Princípios Fundamentais da Governança de dados

Os pilares fundamentais da governança de dados residem na definição clara de papéis e responsabilidades, juntamente com o estabelecimento de políticas e padrões para o gerenciamento de dados.

A definição de papéis e responsabilidades na governança de dados é crucial para evitar lacunas na gestão de dados e garantir que cada aspecto do ciclo de vida dos dados seja supervisionado adequadamente.

Ao atribuir responsabilidades claras, os colaboradores sabem exatamente quais são suas funções e como contribuir para a integridade e qualidade dos dados. Isso não apenas promove a responsabilidade individual, mas também estabelece uma cultura organizacional que valoriza a gestão eficaz dos dados.

Por outro lado, o estabelecimento de políticas e padrões cria uma base sólida para a consistência e integridade dos dados. Essas políticas orientam as práticas eficazes de gerenciamento, definindo critérios para a coleta, armazenamento, processamento e compartilhamento de dados.

Ao seguir padrões pré-definidos, a organização assegura que os dados sejam tratados de maneira uniforme, minimizando erros, reduzindo redundâncias e garantindo a confiabilidade das informações.

Além disso, as políticas e padrões também desempenham um papel fundamental na conformidade regulatória, orientando a organização para cumprir normas específicas, como a LGPD. Essas diretrizes não apenas promovem a conformidade legal, mas também mitigam riscos associados ao manuseio inadequado dos dados.

Em última análise, a combinação da definição de papéis e responsabilidades com o estabelecimento de políticas e padrões cria uma estrutura sólida que promove uma governança de dados eficaz e alinhada aos objetivos da organização.

Quais são os desafios da governança de dados

A governança de dados enfrenta uma série de desafios complexos, desde resistências organizacionais até a garantia da qualidade e segurança dos dados. Entre esses desafios, destacam-se questões relacionadas à cultura organizacional, como a necessidade de uma mudança de mentalidade e a falta de conscientização e educação sobre a importância da governança de dados.

A resistência muitas vezes está enraizada na cultura organizacional, onde a governança de dados pode não ser devidamente valorizada. A implementação bem-sucedida requer uma mudança cultural e uma mentalidade que reconheça a importância dos dados como ativos críticos para a organização.

A falta de conscientização e educação pode levar à subestimação da importância da governança de dados. A ausência de programas educacionais e de conscientização pode dificultar a adoção efetiva da governança de dados.

A qualidade dos dados é um desafio crucial, envolvendo a gestão de inconsistências e imprecisões que podem surgir de diferentes fontes e processos inadequados. Manter a integridade dos dados ao longo do tempo também é um desafio, especialmente em ambientes onde várias equipes têm acesso e modificam os dados.

A segurança e privacidade dos dados são questões críticas. Proteger contra violações de segurança, tanto internas quanto externas, é um desafio constante. Portanto, abordar esses desafios requer uma abordagem holística, que inclua mudanças culturais, investimentos em tecnologia, treinamento contínuo e uma estratégia de governança de dados bem definida.

Confira também o conteúdo sobre vazamento de dados de empresas

Qual o principal objetivo da governança de dados segundo a LGPD

O principal objetivo da governança de dados, conforme estipulado pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), é assegurar a privacidade e a proteção dos dados pessoais. A LGPD é uma legislação brasileira que estabelece regras e princípios para o tratamento de informações pessoais, com o intuito de garantir o respeito à privacidade e a preservação dos direitos dos titulares desses dados.

A governança de dados, no contexto da LGPD nas empresas, busca criar um ambiente em que a coleta, tratamento e armazenamento de dados pessoais sejam realizados em conformidade com as disposições legais. Isso implica em orientar as práticas relacionadas à gestão dessas informações sensíveis, visando garantir transparência, controle e segurança.

Um dos pontos-chave desse enfoque é a conformidade legal, alinhando as práticas da organização com os requisitos da LGPD para assegurar que as atividades de coleta, tratamento e armazenamento de dados pessoais estejam em conformidade com a legislação vigente.

Outro aspecto fundamental é a transparência, garantindo que os titulares dos dados estejam plenamente cientes de como suas informações pessoais são coletadas, utilizadas e protegidas. Essa transparência é essencial para estabelecer a confiança entre as organizações e os indivíduos.

A governança de dados também visa proporcionar aos titulares maior controle sobre suas informações pessoais. Isso inclui a possibilidade de acessar, corrigir, atualizar ou solicitar a exclusão de seus dados, conforme previsto na LGPD.

A segurança da informação é um pilar importante, estabelecendo medidas adequadas para proteger os dados pessoais contra acessos não autorizados, vazamentos ou qualquer forma de tratamento indevido.

Além disso, a governança de dados orienta sobre boas práticas na gestão de dados, incluindo a definição de políticas internas, processos claros e responsabilidades bem definidas para garantir a conformidade com a LGPD.

Como fazer governança de dados

Implementar uma governança de dados eficaz requer a adoção de práticas específicas, começando pela definição clara de papéis e responsabilidades e estendendo-se até a criação e aplicação de políticas e padrões consistentes. Veja a seguir:

Definição da Estrutura Organizacional

Identifique os principais interessados e estabeleça papéis e responsabilidades claros. Isso inclui a nomeação de um diretor de dados (CDO) ou responsável pela governança de dados, bem como a formação de comitês ou equipes específicas para gerenciar diferentes aspectos da governança.

Mapeamento de dados

Faça um inventário abrangente dos dados, identificando suas fontes, fluxos e uso dentro da organização. Esse mapeamento é essencial para compreender o escopo e a complexidade do ambiente de dados.

Desenvolvimento de Políticas e Padrões

Crie políticas que orientem o tratamento, acesso, compartilhamento e descarte de dados. Estabeleça padrões de qualidade, segurança e privacidade para garantir a conformidade com regulamentações, como a LGPD.

Implementação de Controles de Acesso

Defina e implemente controles de acesso aos dados, assegurando que apenas usuários autorizados tenham permissão para acessar informações sensíveis. Isso ajuda a proteger a confidencialidade dos dados.

Garantia da Qualidade dos Dados

Implemente processos para monitorar e melhorar a qualidade dos dados ao longo do tempo. Isso inclui a identificação e correção de inconsistências, duplicatas e erros nos dados.

Para empresas interessadas em implementar governança de dados eficiente, a Euax oferece serviços especializados em consultoria. Nossa equipe capacitada pode ajudar sua organização a desenvolver e implementar estratégias de governança de dados adaptadas às suas necessidades específicas. Convidamos você a explorar as soluções de consultoria da Euax para fortalecer a gestão dos seus dados e garantir conformidade com as regulamentações vigentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Consultoria Conduzimos gestores e suas equipes à conquista de resultados! Outsourcing Alocação de profissionais especializados e de alta maturidade Capacitação Treinamentos In Company
@mrjackson